Skip to Content

Opinião // Seraph of the End // Temporada 1

Be First!

A história do Seraph of the End começa como um qualquer Shonen, com o nosso protagonista a fazer tudo por vingança, matar todos os vampiros porque um vampiro matou a sua familia, ele quer tornar-se mais forte, ser o mais forte, poderoso o suficiente para poder aniquilar qualquer chupista de sangue que se cruze no seu caminho o que vai acontecendo, nada de surpreendente, mas no fim da temporada vários plot twists acontecem tornando as coisas mais interessantes e deixando muito em aberto para a segunda temporada em Outubro.

In 2012, the world allegedly comes to an end at the hands of a “human-made” virus, ravaging the global populace and leaving only children under the age of thirteen untouched. It is at this time that vampires emerge from the recesses of the earth, likely followed by age-old horrors of the dark thought only to be myth. The vampires sweep the earth and claim it in a single violent stroke, subjugating the remnants of humanity and leading them beneath the surface to safety. This “protection” comes at the price of donating blood to their captors. At the age of twelve, Yūichirō and his friend and fellow orphan Mikaela plotted to escape along with the children in Hyakuya Orphanage. However, this resulted in their deaths and Mikaela sacrifices himself in order for Yūichirō to escape and be saved by members of the Moon Demon Company, an extermination unit of the Japanese Imperial Demon Army. Four years later, Yūichirō dedicates his life to destroy vampires and seek revenge against them for murdering his “family”.

Num mundo onde humanos são escravizados como gado para alimentar os vampiros, e a humanidade está quase extinta a história tenta ser relativamente séria e negra, disse relativamente porque minha opinião acho que não teve muito sucesso e as vezes tem piada.

seraphOs personagens são um pouco básicos em nível de personalidade e as relações entre eles também , pouco desenvolve durante esta primeira temporada, mesmo com um episódio onde ficamos a saber o que os motiva a querer fazer por a sua vida em risco para lutar contra os vampiros, apenas o protagonista tem alguma pouca evolução no fim e as relações começam a mudar

Como podem reparar à aqui uma tendência, tudo fica melhor no fim da temporada o que abre a oportunidade para uma segunda temporada superior.

A direcção artística combina fundos pintados à mão com personagens coloridos embora a animação dos combates deixe um pouco a desejar mas.quando a animação é boa é boa, os combates sofrem muito de cenas em que praticamente não há animação como os animes à antiga, isto foi especialmente grave no fim da temporada quando parecia que ia haver uma grande guerra e que foi resumida a imagens em movimento, depois plot twist surpresa onde a qualidade da animação aumentou e quando a surpresa acabou voltou a reduzir, até parece que estavam com o dinheiro contado e tinham de andar a escolher os momentos que valia a pena animar em condições. Houve até outra ocasião em que parecia que ia haver uma batalha valente e decidiram simplesmente nem a mostrar.

A primeira temporada pode ter partes paradas, mas a verdade é que final deixa a oportunidade para uma boa segunda parte, com um especial cliffhanguer no final do ultimo episódio depois dos créditos, são 12 episódios com o objectivo de introduzir o mundo e os personagens e só na segunda vai começar a desenvolver o enredo principal. Se estiverem à procura do próximo Fullmetal Alchemist ainda não o encontraram, mas é certamente um anime para manter debaixo de olho.

Autor: Simao Cristo

Sou o fundador deste estabelecimento e de má ortografia. Estudo Gestão Hoteleira e comecei esta vida de gamer desde gaiato. Fui aos poucos adquirindo outros vícios como filmes, comics, animes, mangás, séries de TV

Previous
Next