Skip to Content

Emerald City – Yellow Brick Road to Failure | Review

Emerald City – Yellow Brick Road to Failure | Review

Be First!

Emerald City é um take negro, sério emoderno da tão conhecida história, O Feiticeiro de Oz.

Emerald City, estreia Dorothy que em busca de conhecer a sua mãe verdadeira é levada para o mundo de Oz. Vemos depois a jornada de Dorothy para conseguir voltar a Kansas. Inicialmente a história parecia interessante, apesar dos diálogos não serem os melhores, a história estava num bom caminho ao introduzir ao mundo de Oz o poder de objetos modernos. Conhecemos logo no início o espantalho, Lucas, que é uma pessoa e não se lembra do seu passado. E junto com Dorothy este vai ajudá-la a retornar ao seu Mundo.

A série perde o seu rumo quando começa a focar-se no romance pouco orgânico entre Dorothy e Lucas em vez do objectivo principal. O que faz com que a história das personagens secundárias que nos são introduzidas, como é o caso de Tip e do Jack, tenham maior interesse e desenvolvimento que a personagem principal.

emerald city

A séria perde-se totalmente quando tenta ser algo mais que o retorno de Dorothy a casa. Tentando introduzir de forma abrupta plot twists que não fazem sentido e de alguma forma levando a eventos que mais se assemelham a pedaços de história colocados aleatoriamente no meio da série.

Por um lado a série tenta ter algum drama com a vida romântica de Dorothy mas por outro lado as decisões da personagem principal são ilógicas e fora de carácter. Em partes, não sei se por objetivo da série, as personagens exageram a sua performance, principalmente o Feiticeiro de Oz, tornando-se um pouco ridículo.

Nos últimos dois episódios somos bombardeados com plot twits fracos e revelações que mais parecem uma ultima tentativa de tornar interessante uma seria que perdeu totalmente o seu caminho.

Do meu ponto de vista Emerald City é uma serie que arrependo ter perdido tempo a ver e dou a Emerald City 4/10.

Autor: Catarina Vieira

Passo 50% do meu tempo a ver filmes, series e animes e os outros 50% a falar sobre eles. No tempo que me sobra sou estudante de Informática.

Previous
Next